Alumínio e pintura eletrostática

Alumínio: liga 6063 e tempera T5

No Brasil, a norma técnica ABNT 6834 regula a produção das ligas de alumínio pelos extrusores. A base dessa norma é a chamada de quatro dígitos, desenvolvida nos estados unidos pela aluminum association, também utilizada como parâmetro em outros países. O principio básico de uma liga de alumínio se traduz na equação: alumínio puro+ quantidade pequena de outros elementos = ligas de alumínio.

Em geral, referindo-se a construção civil, as ligas mais usadas são as da família 6000 (serie 6xxx), cuja composição é alumínio-magnésio-silício. A capacidade de extrusão dessa família é muito boa, do mesmo modo as propriedades mecânicas, sendo que o acabamento superficial, quando anodizado, é excelente. A liga 6063 é usada em uma grande variedade de aplicações arquiteturais, como nas caixilharias ancoragens e outros componentes estruturais, por quanto agrega um pouco mais de magnésio e silício, assegurando propriedades mecânicas ainda mais elevadas.

Para que todos os elementos que compõem a liga estejam uniformemente distribuídos, o tarugo que dará origem a extrusão passa por um processo de aquecimento, resultando na homogeneização dos compostos intermetálicos (elementos componentes da liga). Após ser extrudado, o material é temperado. As esquadrias, caixilharias e ancoragens utilizam, em geral, perfis com tempera T5, que significa que o material após extrudado passa por um tratamento de solubilização e envelhecimento artificial, ou seja, é resfriado bruscamente após um processo de conformação a uma temperatura elevada e depois envelhecida artificialmente. A intensidade do uso do alumínio de liga 6063 na construção civil, sob a forma de esquadrias, caixilhos e ancoragens se deve a facilidade de conservação do material, dispensando raspagem e pinturas periódicas; a sua leveza aliada a uma grande resistência mecânica, que lhe permite facilidade de transporte e colocação; à durabilidade do material, imune a ação das intempéries ou quaisquer outros agentes agressivos naturais, como maresia; sua estabilidade dimensional e as formas e acabamentos que o alumínio permite.

Pintura eletrostática

A pintura eletrostática é um processo de acabamento que utiliza o principio elétrico de atração e repulsão de cargas elétricas. A peça a ser revestida é carregada eletricamente com uma carga oposta á da tinta, a qual é aplicada na peça sob a forma de um pó seco e fluidizado através de ar comprimido, oque dispensa totalmente solventes líquidos. A peça então é levada a uma estufa onde a tinta se liquefaz e posteriormente endurece, formando uma película de alto acabamento, uniformidade e resistência.

O principio básico da pulverização eletrostática se baseia no fato que cargas opostas se atraem, portanto a maioria dos materiais condutivos são apropriados para serem revestidos por esse tipo de processo. A eficiente é muito alta e flexibilidade da peça não é afetada: no caso do alumínio, mesmo bastante flexionado, a tinta permanece firmemente pesa a superfície da peça, sem rachar, propiciando, ainda, agradável efeito decorativo (camada de tinta 50 e 60 micras).
O processo resulta em excelente proteção anticorrosiva, propriedade de adesão, resistência a abrasão, ao calor, ao desplacamento e ainda a agressão mecânica.